Sábado, 12 de Setembro de 2009

Todas as novidades do Rap e do Hip Hop e não se esqueçam de visitar http://morangoserebeldes.blogs.sapo.pt

Pessoal entrem neste blog http://morangoserebeldes.blogs.sapo.pt e encontram tudo sobre os "Morangos com Açucar", exclusivos, noticias e muito mais, moranguitos em erotismo e em entrevistas, não exitem cliquem no link e visitem, votem no blogstar neste blog e no que referi e no que ainda irei referir e não deixem de comentar, também têm outro blog onde podem fazer download dos episódios dos MCA e do DVD das "Just Girls, ao Vivo no Campo Pequeno". Que estão à espera? Não exitem e entrem em http://episodiosmcadownload.blogspot.com. Visitem também http://romanticboy69.blogs.sapo.pt com perfil renovado.

 

Agora deixo-vos com todas as novidades do Hip Hop...

 

 

O grupo Filhos do Gueto prepara o lançamento do seu CD


 
O grupo Filhos do Gueto prepara o lançamento do seu CD

Formado por três integrantes - Clebão, MC Dee e Thaís - o grupo Filhos do Gueto prepara o lançamento de seu CD, que está sendo produzido no estúdio LC e encontra-se em fase terminal de produção.

O disco conta com a produção de Duck Jay e terá participações de vários outros artístas consagrados na cena nacional, tais como: 3-1 Só, Look e Tribo da Periferia.

Com o título de "Liberdade para as Favelas", o disco estará na praça no primeiro semestre de 2010.


Dj Grafiti prepara Mixtape com grupos de Brasília


 
Dj Grafiti prepara MixTape com grupos de Brasília

Brasília And Guerra é o nome da próxima MixTape que será lançada pelo Dj Grafiti. O trabalho terá apenas a participação de grupos do DF e Entorno e visa divulgar o trabalho de grupos que ainda não têm disco lançados, bem como grupos já consagrados na cena nacional.

A MixTape terá aproximadamente vinte músicas e já conta com a participação dos grupos 3-1 Só, Bela Dona e Tribo da Periferia.

Os grupos e artistas que desejarem participar e ter seu trabalho divulgado na MixTape, podem entrar em contato com o Dj Grafiti através do seguinte e-mail: djgrafitimixtape@hotmail.com

 


 

O preço para se vestir no estilo Hip Hop

Edilene Oliveira oferece raridades disputadas pelos clientes no Centro de BH.

A economia dentro do hip hop a cada dia se diversifica. É visível a mudança de segmento das empresas que sempre atuaram neste ramo, bem como é nítida a entrada de novas empresas de olho nessa “nova” fonte de renda, bastante promissora, diga-se de passagem: a venda de roupas e artigos ligados ao hip hop.

Há poucos anos atrás, no auge das vendas de CDs, diversas lojas por todo o Brasil se fortificaram com a venda dessas mídias.

As gravadoras também obtiveram recordes de faturamento e, por outro lado, possibilitaram que vários grupos de rap gravassem seus trabalhos e entrassem no mercado fonográfico.

Com a expansão da internet, rapidamente veio a crise das gravadoras e a conseqüente queda das vendas de discos. O mercado entrou em colapso e fez com que as empresas descobrissem nova forma de sobrevivência.

O estilo tipicamente do gueto, gera hoje faturamentos exorbitantes no meio comercial. Para se vestir na moda, Office boys e auxiliares de produção, dentre outros, comprometem mais de 50% da renda. O estilo norte-americano de se vestir faz com que as pessoas percam a dimensão dos seus gastos e, muitas vezes, comprometam seus orçamentos. E por falar em americanos, estes ainda conseguem vender seus CDs e DVDs aqui no Brasil por curiosos valores médios de 25, 30 reais.

Abordando este aspecto,  Marta Vieira retratou a cena mineira e calculou aproximadamente quanto um jovem gasta para se vestir na onda do hip hop. A matéria foi publicada inicialmente no Estado de Minas.

Jovens pagam caro para andar na moda hip hop
Seguir o estilo hip-hop em BH significa gastar mais de R$ 1 mil para usar calças largas, casacões de poliéster, tênis, boné e corrente. Tudo de marca e pago à vista

O ponto de encontro fica a um lance de escadas do asfalto movimentado do Centro de Belo Horizonte, perfeito exemplo do caos urbano que é motivo de inspiração na música e nas manifestações de protesto de um grupo de consumidores frequentes nas tardes de quinta e sexta-feira e nas manhãs de sábado na antiga Galeria Praça Sete. Eles buscam algo além do passeio em frente às vitrines do primeiro andar e estão dispostos a pagar caro para garantir estilo no baile rap, com brinco e corrente, sem se esquecerem do boné, do casaco e do tênis. A fidelidade ao estilo de vestir pode custar mais de R$ 1 mil, num conjunto de artigos típicos do gosto desses clientes de forte personalidade, mas o significado do dinheiro, aparentemente, não passa da possibilidade de encarnar atitudes respeitadas e admiradas no autêntico movimento hip-hop.

O roteiro de lojas que se especializaram nesse comércio em que a marca já está definida na mente do consumidor, quando ele sai de casa ou do trabalho para ir às compras, envolve pelo menos oito lojas no mesmo corredor do prédio, na esquina das avenidas de maior movimento no Centro de BH, Afonso Pena e Amazonas. É necessário um estoque bem preparado para satisfazer o garimpo de novidades procuradas a cada semana pela maioria de jovens dos 12 aos 20 anos, e até mesmo sem a preocupação de deixar todo o salário no caixa.

O auxiliar de produção Warley Evangelista de Souza, de 18 anos, diz que o importante é a sensação de liberdade e conforto tão preservada pelos adeptos do hip-hop. Em questão de minutos, durante a folga da semana passada, Warley desembolsou R$ 90 por uma camisa e um boné da marca XXL, orçamento que costuma chegar a R$ 250 nas idas habituais às compras. “Já reservo parte do salário. Me sinto bem e confortável no estilo”, afirma. Metade dos 30 anos de vida do vendedor e professor de dança Marcelo Augusto da Silva foram dedicados a entender esse público.

Quem só vê o lado contestador desses garotos metidos em calças e casacos de poliéster extravagantes e de numeração superior aos limites do corpo pode se surpreender com o desejo que eles têm de se enfeitar como o ídolo de todos os tempos, o cantor Michael Jackson, e os rappers americanos que iniciaram legiões de seguidores de uma filosofia urbana e global. “Eles valorizam muito a cultura que identifica esse movimento. Querem liberdade e ficar à vontade”, afirma Marcelo Silva.

A indústria tenta acompanhar o ritmo acelerado desses consumidores. Suprassumo dos bonés que Marcelo vende, as peças de abas retas podem custar R$ 210. Dançarino de rap há oito anos, Marco Túlio dos Santos trabalha no comércio especializado da Galeria Praça Sete desde novembro do ano passado, unindo o conhecimento e a prática no movimento à arte de encontrar o que os clientes pedem. “Muitas vezes, eles idealizam o estilo que veem nos clipes americanos e valorizam a marca porque ela representa um estilo de viver”, diz. Líderes de audiências nas vitrines, os tênis que Marco Túlio oferece têm grande variedade de opções e de preços, que chegam a R$ 520. Por R$ 180, é possível comprar o estiloso modelo usado pelos B.boys – bê do inglês break –, aqueles garotos que dançam na batida da música.

Brilho na boca Nova sensação dos bailes mais concorridos, o grillz, uma espécie de placa coberta de brilhos para enfeitar os dentes, peça produzida nos Estados Unidos, como boa parte dos artigos encontrados no comércio, pode custar R$ 170, feito em aço cirúrgico, cravejado de strass e banhado em ouro. Os adeptos do estilo gastam R$ 300 a R$ 600 a cada 15 dias com os produtos vendidos na loja especializada onde o vendedor Leandro Rodrigues completa o sétimo ano de trabalho. “Se o cliente gosta da mercadoria, com certeza, vai voltar. Quando chega, o vendedor já sabe a marca de seu interesse”, afirma. Vedetes como os skates podem ser comprados por R$ 190 a R$ 220.

Há também raridades que a gerente de loja Edilene Miranda Pereira de Oliveira oferece aos clientes, entre DVDs e livros. Os álbuns de músicas do rapper americano Tupac Amaru Shakur, morto em 1996 aos 25 anos, e a coletânea 100% Favela são bons exemplos na faixa de R$ 35 cada um. Público cativo das lojas, garotos que ajudam na renda da família, com o dinheiro ganho muitas vezes como oficce-boys ou vendedores ambulantes, mantêm outro hábito característico de só pagar as compras à vista.

Para o consultor em marketing e moda Carlos Magno Gibail, professor do Instituto Europeu de Design, com sede em São Paulo, esses consumidores são, de fato, mais do que contemporâneos; eles construíram uma tribo.

“O hip hop está para essa meninada como a Daslu para os ricos”, compara. Na avaliação de Magno Gibail, não há dúvidas de que o comportamento deles é que passou a definir o consumo, não mais o poder aquisitivo isoladamente ou a instrução de cada um. Sem a sofisticação dos grandes centros de compras, a Galeria Praça Sete dá o exemplo do comércio do futuro, que se estrutura em torno do que os americanos chamam de life style (estilo de vida). São lojas destinadas a atender tudo o que determinados clientes adotaram como forma de viver, na contramão da heterogeneidade de produtos dos centros de compras mais conhecidos dos brasileiros A nova tendência chegará, de forma inevitável, ao país, na opinião do consultor.

Orçamento
Pronto para a festa (em R$)

Calça C&D = R$ 85
Camisa Avirex = R$ 110
Casaco C&D = R$ 134
Tênis And I = R$ 289
Boné New Era = R$ 210
Grillz (enfeite de dente) = R$ 170
Corrente = R$ 35
Bandana = R$ 12
Gasto total = R$ 1.045
Fonte: Lojas C&D, Conexão Direta e De Luxe Skateboards

Michael Jackson, o rei do Pop que influenciou o Hip Hop


Michael Jackson, o rei da pop music, influenciou diversas vertentes musicais, entre elas o Hip Hop, R&B e Soul.

A morte do ícone da música pop causou grande repercussão no mundo inteiro. Fãs, celebridades, sites e jornais noticiam a todo momento as últimas informações sobre o caso. Em meio às notícias, várias pessoas expressam seus sentimentos, entre eles, artistas do hip hop mundial.

"Descanse em paz Michael. As pessoas podem falar o que quiserem, mas você foi 100% original. Nós sempre te amaremos, sentiremos sua falta e lembraremos sua grandeza", disse o rapper e ator Ice T em sua página no Twitter.

"Eu estarei lamentando a morte do meu amigo, irmão, mentor e inspiração. Ele deu esperança a mim e a minha família. Eu nunca seria eu sem ele", escreveu MC Hammer.

"Michael Jackson foi meu Deus na música", disse Wyclef Jean. "Ele me fez acreditar que tudo é possível e que através de música verdadeira e positiva, você pode viver pra sempre! Eu amo o Michael Jackson. Deus lhe abençoe", completou.

"Essa perda me deixou profundamente triste! É com o coração pesado que eu fiz essa declaração", explicou Usher. "Que deus te acompanhe, Michael. Estamos todos rezando por você. Eu rezo pela família Jackson inteira, particularmente pela mãe do Michael, filhos e todos os seus fãs que o amavam muito. Eu não seria o artista, performista e filantropo que sou hoje sem a influência do Michael", acrescentou Usher.

Homenagem


Detentos do CPDRC fazem coreografia de "Thriller", de Michael Jackson.

The Game, Chris Brown, Boyz II Men, P.Diddy e Mario Winans uniram forças para homenagear o lendário cantor Michael Jackson através de um novo som, intitulado Better On The Other Side.

"Você é Michael Jackson, eu sou Michael Jackson", rimou Game. "Nós todos somos Michael Jackson. Curvem-se diante de uma lenda. Não respirem por um segundo, agora soltem o ar, agarrem a mão de alguém com quem você se preocupa".

"Então você pode ouvir a minha mensagem, ouvir minha confissão / Todo mundo diga ao Usher, eu vi um moonwalk / Acho que o jovem Thriller o tocou / Ele me tocou, assim como te tocou", diz um trecho da música.

"As pessoas podem falar o que quiserem de você", diz Diddy na música. "Nós vamos lembrar dos milagres que você nos mostrou através de suas músicas, das suas mãos. Você é o único que fez com que nós entendessemos que somos o mundo. O único que nos mostrou o moonwalk. Você nos deu a batida, o ritmo, a alma. Através de nós, seu legado vive".

Outra homenagem feita foi o vídeo que mostra cerca de 1.500 prisioneiros filipinos fazendo a coreografia do clipe "Thriller", de Michael Jackson. O vídeo virou fenômeno na internet na última semana. Postado no YouTube em 17 de julho por um usuário identificado apenas como byronfgarcia, o vídeo teve mais de 1 milhão de acessos no site em menos de uma semana.

A página de byronfgarcia no site de vídeos traz outros oito registros do talento musical dos detentos do chamado Centro de Detenção e Reabilitação da Província de Cebu (CPDRC). Além de "Thriller", eles já dançaram ao som de "Radio Ga Ga", do Queen, e de canções da trilha-sonora do filme "Mudança de hábito", de Whoopy Goldberg, entre outras.

Morte de Michael Jackson

O "rei do pop", o cantor Michael Jackson, morreu na última quinta-feira (25/06/2009), em Los Angeles, no estado americano da Califórnia, após ser socorrido e levado a um hospital com uma parada cardíaca. Ele tinha 50 anos e estava preparando uma última temporada de shows.

Sobre Michael

Michael Joseph Jackson (29 de agosto de 1958 / 25 de Junho de 2009) foi um cantor, compositor, ator, publicitário, escritor, produtor, iretor, dançarino, instrumentista, estilista e empresário estadunidense.

Começou a cantar e a dançar aos cinco anos de idade, iniciando-se na carreira profissional aos onze anos como vocalista dos Jackson Five; começou logo depois uma carreira solo em 1971, permanecendo como membro do grupo. Apelidado nos anos seguintes de "King of Pop" ("Rei da música Popular"), cinco de seus álbuns de estúdio se tornaram os mais vendidos mundialmente de todos os tempos: Off the Wall (1979), Thriller (1982), Bad (1987), Dangerous (1991) e HIStory: Past, Present and Future – Book I (1995). Lançou-se em carreira solo no início da década de 1970, ainda pela Motown, gravadora responsável pelo sucesso do grupo formado por ele e os irmãos. Em idade adulta, gravou o álbum mais vendido da história, Thriller.

No início dos anos 1980, tornou-se uma figura dominante na música rock e música popular e o primeiro cantor afro-americano a receber exibição constante na MTV. A popularidade de seus vídeos musicais transmitidos pela MTV, como "Beat It", "Billie Jean" e "Thriller" são creditados como a causa da transformação do vídeo musical em forma de promoção musical e também de ter tornado o então novo canal famoso. Vídeos como "Black or White" e "Scream" mantiveram a alta rotatividade dos vídeos de Jackson durante a década de 1990. Foi o criador de um estilo totalmente novo de dança, utilizando especialmente os pés. Com suas performances no palco e clipes, Jackson popularizou uma série de complexas técnicas de dança, como o robot e o moonwalk. Seu estilo diferente e único de cantar, bem como a sonoridade de suas músicas influenciaram uma série de artistas nos ramos do hip hop, dance e R&B.

Jackson doou milhões de dólares durante toda sua carreira à causas beneficentes através da Dangerous World Tour, compactos voltados à caridade e manutenção de 39 centros de caridades. No entanto, outros aspectos da sua vida pessoal, como a mudança de sua aparência, principalmente a da cor de pele devido ao Vitiligo, geraram controvérsia significante a ponto de prejudicar sua imagem pública. Em 1993 foi acusado de abuso de crianças, mas a investigação foi arquivada devido a falta de provas. Depois, casou-se e foi pai de três filhos, todos os quais geraram controvérsia do público. O cantor teve experiências com crises de saúde desde o início dos anos 90 e sofreu também comentários sobre sua situação financeira. Em 2005, Jackson foi julgado e absolvido das alegações de abuso infantil.

Um dos poucos artistas a entrarem duas vezes ao Rock And Roll Hall of Fame, seus outros prêmios incluem uma série de recordes certificados pelo Guinness World Records - um deles para Thriller como o álbum mundialmente mais vendido de todos os tempos - dezenove Grammys em carreira solo e seis Grammys com The Jacksons e 41 canções a chegar ao topo das paradas como cantor solo - e vendas que superam as 750 milhões de unidades mundialmente, sendo que alguns empresários da Sony já registram a incrível marca de mais de 1 bilhão. Sua vida, constantemente nos jornais, somada a sua carreira de muito sucesso como rock superstar fez dele parte da história da música rock e cultura popular por mais de quatro décadas. Nos últimos anos, foi citado como o homem mais conhecido mundialmente. Em sua carreira, seu trabalho influênciou várias vertentes musicais, incluindo aí o Hip Hop, R&B e o Soul Music.

 

50 Cent questiona o conteúdo lírico de Lil Wayne

 
50 CentO líder da G-Unit, 50 Cent, falou recentemente sobre a falta de conteúdo lírico de alguns artistas do Hip-Hop, dizendo ainda que a longevidade do rapper Lil Wayne no jogo tira toda a credibilidade do astro da Cash Money nas ruas.

Falando em uma conferência para seu livro The 50th Law, 50 afirmou que as letras de Lil Wayne precisam ser revistas, dando a entender que o conteúdo das mesmas é falso.

 

Existem artistas por aí que eu posso dizer que gosto, explicou 50. Eu continuo possuindo a habilidade de ser um fã. Caso contrário, eu sentiria como se estivesse fora de sintonia se não pudesse ouvir o trabalho de outra pessoa, me empolgar com isso, sentir que foi bem feito. Existem caras por aí que escrevem punchlines fantásticas e continuam não tendo conteúdo. Eles não conseguem encaixar a estrutura da música. Como aquele cara que você vê batalhando contra outros com linhas incríveis que fazem você dizer: 'Uau, ele é talentoso.' Alguém aí disse Weezy? Ele cresceu na TV. Ele está na atividade desde os 14 anos de idade, 13. Então, se você pensar sobre isso, não há um ponto onde qualquer uma daquelas letras possa ser realmente fatual. 

 

 

Jay-Z sobre Peedi Crakk: 'Ele é um psicopata'

Jay-ZEm entrevista para Angie Martinez, da rádio Hot 97, Jay-Z falou sobre seu relacionamento com os ex-artistas da Roc-A-Fella - Beanie Sigel, Freeway e Young Chris.

Eu falo com o Chris frequentemente, revelou o astro de Nova York na entrevista. Freeway também. Eu falei com o Beans quando a avó dele faleceu, tivemos uma conversa. Eu não falo com o Peedi de modo algum, porque ele é um psicopata.

 

Não, ele é um psicopata, adicionou. É nisso que eu acredito completamente. Não estou tentando ser engraçado ou algo do tipo.

Peedi falou sobre suas desavenças com Jay em uma entrevista dada ano passado.

Ele é um cara muito abusado, disse Peedi na ocasião. Eu estive manjando ele por um bom tempo, vi o jeito como ele faz negócios. Eu acho que ele ficou intimidado comigo. Eu tenho verdadeiras qualidades de liderança e não gosto de ser mandado. Ele lançou os álbuns do Beans e do Freeway sem promoção, sem nada. Ele não teve interesse. Estou feliz que ele não tenha lançado o meu trabalho.

50 Cent nega ter atacado Jay-Z em 'Flight 187'

50 CentTodo mundo queria saber se 50 Cent estava tentando cutucar Jay-Z em sua nova faixa de mixtape, Flight 187. O líder da G-Unit falou com a MTV recentemente e revelou que não se trata de um ataque, apenas de uma observação.
   
Foi o óculos, explicou o magnata do Queens sobre o porquê de ter comparado o veterano rapper com o personagem Steve Urkel, do sitcom Family Matters.

 

Eu acho que ele é realmente consciente de seus atuais atos, adicionou. Ele faz aquelas coisas para fazer uma declaração de diferentes formas, para deixar claro que não precisa ser do jeito que as pessoas querem que ele seja. Ele pode fazer o que quiser. Mas eu escrevi a música em uma perspectiva minha mencionando coisas que eu achava interessantes.

Fif disse ainda que citou Britney Spears e até membros de sua 'família musical' na música, mas que todos voltaram suas atenções para Jay-Z pelo fato do álbum Blueprint 3 ter sido lançado recentemente.

Eu até escrevi: 'Em fez de mim um astro, mas Dre está demorando muito para mixar minhas músicas. Tenho de falar com Jimmy [Iovine] sobre isso.' Eu escrevi sobre a Britney Spears. Eu disse um monte de coisas interessantes na faixa, mas eles se focaram no Jay porque o álbum dele está sendo lançado, concluiu.

Lil Jon com Akon e Soulja Boy em 'Crunk Rock'

Lil JonO rapper e produtor de Atlanta, Lil Jon, está preparando o lançamento de seu tão aguardado novo registro de inéditas, intitulado Crunk Rock.

De acordo com a Rolling Stone, o registro, que chegará às lojas em 24 de novembro, contará com participações de R. Kelly, Akon, Soulja Boy, Ice Cube, 3Oh!3, Elephant Man, Pastor Troy, Ying Yang Twinz e Pitbull, entre outros.

 

Isso não se trata apenas de lidar com crunk e rock, disse Lil Jon. Isso é, basicamente, um estilo de vida. Viver a vida ao máximo, ficar doidão e cair na farra. Estou apenas tentando fazer com que todos se divirtam e dancem novamente. Porque, no rap, as pessoas pararam de zoar, disse Lil Jon. Você vai pra uma festa de hip-hop e as pessoas só ficam tentando parecer duronas e legais. Eu quero que as pessoas percam a linha, transpirem e soltem as frangas novamente.

publicado por Rickymcdread às 03:52
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Tom'a a 13 de Setembro de 2009 às 14:52
A tua encomenda já está feita ;)

http://mega-encomendas.blogs.sapo.pt/

Espero que gostes (:


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


.posts recentes

. A morte da cantora Whitne...

. download CD Best Of March...

. download CD Best Of March...

. Um Bom Natal com download...

. Concerto de Lady Gaga em ...

. Downloads - o melhor do R...

. O melhor dos downloads (n...

. As damas do Hip Hop em fo...

. Novidades Hip Hop Tuga!!!

. O melhor do Hip Hop para ...

.arquivos

. Fevereiro 2012

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

radio Cidade FM...


widgeo

widgeo
Contador de acesso
Contador de acesso

compteurs free counters
(brevemente)

blogs SAPO

.subscrever feeds