Sábado, 31 de Outubro de 2009

O grupo português de Hip Hop Halloween no dia das Bruxas (31 de Outubro de 2009)!!!

Pessoal hoje começo com um grupo português de Hip Hop "Halloween", a festejar este dia das Bruxas de 31 de Outubro de 2009...

 

 

 

 

Halloween - "Projecto Mary Witch"
 
 





















 

 

 

 

 

 

 

 

Halloween, desde 1996 tem como estilo de vida o hip-hop, Residente em Odivelas finalmente decide lançar o seu primeiro Álbum de originais. Apreendeu muito cedo a compor e a manifestar suas ideias através do rap. A Rima coerente e a métrica ousada. Halloween é uma Figura mais atuantes no underground Português. O seu recente álbum fala da dura e violenta realidade dos bairros de grande Lisboa: problemas de sempre: pobreza, falta de perspectivas, drogas e abandono pelo Estado, é uma música de conteúdo por que é sincera como quem a compõe. Os propósitos principais do Halloween são resgatar a nostalgia étnica e ideológica através do hip-hop e mais propriamente do RAP através de suas letras bem elaboradas e directas. Halloween "Projecto mary wich". A não perder...

 


Deixo aqui um pouco da maneira dura com que Halloween escreve as suas letras:

 

O Halloween não é bravo nem é GI...
é uma alma perdida que vagai na street
já faz algum tempo que eu ando por aqui
procurei-te como um doido mas nunca te vi
quem me dera conhecer baby mas estou com pressa
á uma velha vestida de noiva a minha espera
quando eu me casar com ela não chores não?
ouve a minha voz a rimar no rio trancão
e dorme "my love" enquanto eu canto o nosso som
e sonha com nosco e como seria bom mas para nós é tarde
o nosso tempo acabou
eu não te posso levar eu não sei onde vou
o meu barco furou agarrou-se mas afundou
eu amei-te miúda como ninguém te amou
meu love para ti eu tenho tanto
grito em amor mas ninguém me ouve
niggas sente o meu ódio não sentem a minha dor
a minha vida é uma roleta de cinco balas no tambor
sou eu a ovelha negra dum rebanho sem pastor
satã desvio-nos do caminho do senhor
nós somos renegados, filhos reprovados bastardos
fartos e pesados de casamentos falhados
não olhes para mim minha love não sou culpado
eu nunca quis que o nosso amor desse errado.
O Halloween não é bravo nem é GI...
É divertido andar na linha e saltar antes do comboio chegar
Passar num barco perdido no meio do mar, e girar, girar, girar ...



VideoClip - Halloween - S.O.S Mundo
 
 
 
Algumas das letras de "Halloween"..
 
 

Ciclo da Vida

a toda mulher gravida eu mando flores
digam as nossas criolas que mantenham seu sangue limpo
e nos dêem bebés fortes saudaveis e bonitos

é o mundo kriminalz nigga

bring the love for the streets of santo antonio and corroios
nem k vivas um segundo deixa um teu nesse mundo
sede fecundos e tornai-vos muitos

por cada nigga k cai hão d nascer 10 ou mais
cada G tem o seu time Deus tem o meu nigga Sly
brothers fintam a morte na street como o voo da buterfly
street life voa fácil,mas Gs são imortais
eu não sou e nunca kis ser mais do k ninguem
eu vivo a minha vida dia a dia como sei

eles não entendem o k nós dizemos
não cresceram onde nós crescemos
todos os dias a gente paga a maçã k não comemos
é uma cabra k engravida
calma rapariga
é o mundo cá em cima será menino ou menina
é bem vindo se houver um pingo d amor k vos ligue
com um dadiva dvina como um ciclo da vida

por cada nigga k cai hão d nascer 10 ou mais
kem vive a street life nigga die nigga die
antes d morrer,jesus cristo perdoou um criminal
e ele foi pra um lugar onde Gs descansam em paz -- refrão

tu estas pregado
nem movimento nem trabalho
sentado a beber na rua a ver passar os autocarros
não desistas do futuro hoje,amanhã será pior
nunca deixes k eles t digam k tu não tens valor
nós somos niggas e niggas orientam-se como for
não há lei nem promotor
o meu juiz é o senhor
traficantes e ladrões andam de cara levantada
safoda as bocas k falam,comem tudo não dão nada
kem não tem nada aposta tudo,talvez ganhe talvez perca
brother esses filhos da puta só nos kerem ver na merda
mas em lisboa niggas vivem a vida louca
mas em lisboa kem não abre o olho voa

a gente rouba a gente paia a gente mata a gente burla
a espera da fezada k nos tire da rua,mas nada muda
pra kem vive rápido a vida é curta
um dia eles t apanham,parábens filhos da puta
até esse dia xegar tenham cuidado eu tou na rua
com a minha shot,a minha tropa, a minha ganza as minhas putas

são muitos os k odeiam e os k amam o halloween
tudo o k desejas para mim eu desejo o dobro para ti
porque OGs não têm medo nem de chibos nem d inimigos
não existe maior castigo do k envelhecer e morrer sozinho
então eu penso em todas as coisas k eu lhe fiz
hoje eu dava tudo para te-la ao pé mim
mas eu n controlo os demonios k moram na minha cabeça
minha amante minha princesa,minha alma siamesa
só agora sei k mulheres como tu não têm preço
criola se eu pudesse eu dava-t o universo

se não deu certo axo foi porque Deus não kis
espero k encontres outro homem e k ele t faça feliz

Refrão x 4

ele foi pra um lugar onde Gs descansam em paz

 

Dia De Um Dread De 16 Anos
 

 

Pais falhados, amigos pedrados
Não vejo maneira de sair deste buraco
Miséria, crime, lixo, bicho
Niggas a roubarem para alimentarem vícios
Sai da frente, deixa-me passar
Eu sou velho delinquente eu não vacilo em disparar
Não tenho planos, sou vândalo suburbano
Violência, delinquência são o meu quotidiano
Hey, bacano, não entres no meu bairro
O último pagou caro, foi esfaqueado por causa dum cigarro
A velha, Maria Imaculada, Senhora respeitada
Foi apanhada levada, julgada
Tinha meio quilo de branca em casa debaixo da cama
De cana, fecharam a paróquia do Padre Góis
Cambada de bois, baptizavam meninos com espermatozóides
Uh, António da Rua Aguiar 'tá tão mudado
Vi-o sentado no Parque Eduardo Sétimo, no Sábado passado
Coitado, o rapaz 'tá tão magro
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
É um bonito ofício
Tão digno como ser Primeiro Ministro
Não tens a gravata, não tens o terno
Mas tens o cu para teu governo
Credo, eu sou um cidadão do Inferno
Á esquerda um preto que me quer assaltar
Á direita um branco que me quer explorar
Sempre enfrentado os outros, meio pedrado, meio ciente
Andando pelas ruas provocando toda a gente
Ao virar da esquina aparece a polícia
PSP, Porcos Seguem Pretos, vieram-me dizer bom dia
(- Faz favor de encostar à parede, tens alguma coisa que te comprometa, nós não te dissemos já que não te queríamos ver aqui? És tu que és o Halloween?)
O meu nome é Ali Bábá, tem calma meu
Só 'tou á espera da tua mãe mas ela não apareceu
(- Oh Jorge, este sacana é engraçado)
Começaram-me a espancar, a dar p'ra matar
Eu puxei dum cigarro, comecei a fumar
Pistola na minha cara, cara bué inchada
Algemaram-me à chapada e levaram-me para a esquadra
Eu já tinha jantado mas na esquadra serviram-me mais um prato
Comi tanto naquela noite que fiquei enjoado
Bófia agarrou na folha do meu cadastro
Mais porca que o porco do meu padrasto
Idade, 16 anos de marginalidade
Acusação, ladrão, deram-me ordem de prisão
(É a décima vez que a gente se vê
Preto do caralho vais dormir no xadrez)
Xadrez para mim é uma suíte
Paredes com cimento na minha casa não existe, é triste
Meteram-me na cela dum travesti magricela
Um Tuga agarrado mais conhecido por Cinderela
Pediu-me um cigarro disse que morava em Odivelas
Era um homem inocente, foi apanhado numa ruela
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)

Público, público na esquadra era muito
Sempre pensei que era um gajo fodido mas não era o único
Ao lado de tanto marginal, eu era um miúdo
Putas, drogados, ladrões, chulos
Tanta escumalha, tantos gandulos
(- Hey senhor guarda vocês não podem prender putos
- Shh! Respeito pela farda, faz pouco barulho)
Eu conheço este porco, ele chama-se Varela
Maldito porco da PSP de Odivelas
Uma vez viu-me no parque a fumar a minha wella
Apagou-me o charro, fodeu-me uma costela
Ah, Varela, felino desgraçado
Se apanho o teu focinho eu mando-te com o caralho
O porco do teu filho anda na melhor faculdade
Com o dinheiro que rouba os dealers na cidade
O porco tem um bigode que é sua vaidade
Uma moto quatro, e duas casas no Algarve
O porco tem um trauma que é segredo
A sua ex-mulher fugiu com um ganda preto
(- Ahahah
- Pouco barulho caralho! Deves 'tar a querer levar mais?
- Então senhor guarda? Ahn... Deus me livre, eu calo-me já)
Três e meia finalmente saí da esquadra
Prenderam tanta gente que a cela ficou lotada
Tiraram os meus dados e mandaram-me para casa
Cravei uns trocos, telefonei à minha chavala
Mas para variar, a bitch não 'tava
Cabra de merda roda o bairro inteiro
Mas eu não a largo, a puta tem dinheiro
Cheguei a casa a porta 'tava arrombada
Vidros partidos na entrada, tinha sido assaltada
Desgraçado do meu primo, maior carocho da área
Tinha-me roubado um vídeo para comprar dose diária
Abri o frigorífico, nada p'ra beber
Virei a cozinha, nada p'ra comer
Deitei-me na cama comecei a tremer
Quatro da manhã não consigo adormecer
Olha no fundo do quarto a insónia
Porque é que não param de rir-se de mim!? Paranóia!
Não aguento nigga, a agonia é muito grande
Preciso de qualquer merda para mandar para o sangue
Gás ou gasolina dá-me que eu fumo
Alguém me faz um pica ou eu corto os pulsos, eu juro
Ninguém me ouve por mais que faça barulho
De repente, pareceu-me ouvir gente
Vozes a chamarem-me por mim na minha mente
Deve ser da fome, eu devo estar doente
Preciso de ajuda, por sinal, urgentemente
(Halloween)
(Halloween)
(Halloween)
(Ahahahah)
Afinal eram os meus niggas a baterem á porta
(- Então? Como é que é bruxa?
- Nu bai bruxa 'am busca droga?)
Bora, puta da insónia que se foda
Fomos comprar droga na esquina vinte e quatro
Esquina controlada por um dealer cadastrado
Dealer conhecido como Dino Diacho
Cara marcada com a cicatriz duma facada
Óculos escuros, fato, gravata
Charuto cubano, mala à diplomata
O índividuo tinha sido preso mais de vinte vezes
'Tava cá fora não fazia dois meses
Um Cabo-Verdiano escuro só andava de Mercedes
Entramos no bairro, gangsters em todo o lado
Calma mano só viemos comprar um charro
Cabo-Verdiano fez um sinal
Niggas ficaram calmos
Ofereceu-nos bebida, fomos testar o produto
No carro, damas bonitas, vinho do mais caro
'Tá-se bem nigga, hoje temos o dia ganho
Começámos a fumar, beber sem parar
Eu 'tava de jejum comecei a vomitar
Tiraram-me do carro ao pontapé e à chapada
Fingi que desmaiei mas não me serviu de nada
Nós eramos três, eles eram mais de vinte
Pontapés na minha cabeça pareciam dinamites
Consegui fugir mas esquecime do ...
Voltei para trás (Rapaz nhos é nha droga)
Desgraçados, cercaram-me deram-me um enxerto de porrada
Meus niggas fugiram, deixaram-me deitado na estrada
Cara rebentada, roupa rasgada
Ganda pedrada, cinco da madrugada
Deitado no vómito sem guito, sem angala
De repente sinto um flash
(E a luz se apaga, e baza, e baza, e baza...)

Fiquei desmaiado até uma velha me acordar
(Ai não te mexas filho que eu já chamei uma ambulância)
Ambulância? Afanei-lhe o fio, tirei-lhe a aliança
Cacei-lhe a carteira e pus-me à distância
Vizinhos ouviram gritos chamaram a policia
Com a jarda que eu tinha nem que chamassem a CIA
Nas costas, levar uma facada, nem sentia
Qualquer merda, mudara a minha batida cardíaca
O coração parava, o coração explodia
Nem o Obikwelu me apanhava da maneira que eu corria
Cheguei a Santo António já era de dia
Não há ninguém que goste de mim neste bairro
Parece que todo o mundo me quer mandar abaixo
Nigga 'tou no chão daqui já não caio
Os cotas do bairro, todos olham-me de lado
(Então rapaz? Quando é que arranjas um trabalho?)
Pergunta à tua mulher se ela precisa dum caralho
Tinha tantos amigos, fazíamos merda todos os dias
Um foi morto os outros foram para Caxias
Ás vezes fico a pensar, há-de chegar o meu dia
Mas não penso muito, a cabeça 'tá fodida
Vinte e quatro horas por dia com uma faca no bolso
Girando de esquina à esquina à procura do almoço
A ver se um gajo orienta guita pa apanhar moca
Se um gajo ca orienta, ta fica dodo
Já faz um mês e tal que não vou às aulas
Mais uma vez se calhar chumbei por faltas
Nunca fui burro nem um grande baldas
Os stores é que nunca foram com a minha cara
Uns diziam bem alto que eu lhes queria gozar
Meninos do SASE ponham o dedo no ar
Todos riam-se mas riam baixinho
Sabiam que lá fora levavam no focinho
Havia uma miúda chamada Bianca
Bianca era minha paixão de infância
Uma miúda mulata quase branca
Corria atrás dela desde criança
Mas ela não quis namorar comigo nunca
Diz que nunca viu um gajo tão chato, tão chunga
Vai Bianca se não gostas da minha roupa
A minha mãe não coze, o meu padrasto não compra
Saí daqui que tu cheiras mal da boca
Tu nem és bonita tu não és boa
Vou mas é largar a escola, montar a minha banca
Comprar umas roupas, fumar muita ganza
Vou comprar um Mercedes como aquele que o Dino manda
Depois vou voltar à escola, vou comer a Bianca
Dói-me as costas, a moca foi embora
A dor vai e volta, ajuda-me brotha
Foda-se
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
Um dia destes ainda pego numa pistola
Dou a banhada grande e vou-me embora
Vou para um lugar onde ninguém me conheça
Um lugar bem longe da minha cabeça
Eu tenho medo que ninguém se lembre de mim
Mas tenho mais medo, boy, de ficar aqui
Assim é o Karma, da vida de um malandro
Eu vou andando, vou-me arrastando
As minhas pestanas tão pesadas
Pesam uma tonelada
As minhas pernas tão cansadas
Quem me dera chegar a casa
Não sei se cheguei, acho que fiquei por ali
Deitei-me num banco de jardim e adormeci

 

 

Mary Bu


Uma cassete
Um homem: Halloween
Deu a volta ao teu bairro um dia chegou a ti
Não percas o teu tempo atrás de mim, tchau
Chavalo quem me segue é mau

Mais um degrau-au estou no céu, mais do que eu
ninguém voa mais alto do que eu
Eu sou o número 1 da drogaria
Ninguém vai aonde eu vou nigga, vou até ao fim da linha
Maryjane é o amor da minha vida eu acho que nunca te enganei ok, nigga
Desculpa miúda não posso ser o teu amigo intimo
Moca matou o meu líbido

Deixa-me rir como ri uma criança, UH, AH me and ma ganza
Alguém na festa que chora mas dança, UH, AH me and ma ganza
Eu sou feliz não preciso de amigos como tu
Eu sou amigo da Mary Buuu

Tu fazes planos para acabar com o nosso clã
Tu, tu és mesmo dah
Dá meia volta põe-te a andar daqui pra fora
Nigga eu escrevo o teu albúm em menos de uma hora
Agora há tantos mcs hip hop tá na moda
Eu sou real e verdadeiro
És caralho que ta foda
Geração de interesseiros, mentirosos e idiotas
Vocês vende tudo a vossa lingua é uma nota

Mic jack tuga rap no deck one two
merda wak não me gramo
o meu style é único
Não brinques com a revolta da kriminals krew
A bruxa é mais forte do que tu

Deixa-me rir como ri uma criança, UH, AH me anda ma ganza
Alguém na festa que chora mas dança, UH, AH me and ma ganza
Deixa-me rir como ri uma criança, UH, AH me anda ma ganza
Alguém na festa que chora mas dança, UH, AH me and ma ganza
Eu sou feliz não preciso de amigos como tu
Eu sou amigo da Mary Bu

 

Halloween

 


 

Halloween, desde 1996 tem como estilo de vida o hip-hop, Residente em Odivelas finalmente decide lançar o seu primeiro album de originais, projecto Mary Wich. Apreendeu muito cedo a compor e a manifestar suas idéias através do rap. A rima coerente e a métrica ousada. Halloween é uma figura mais atuantes no underground Português. O seu recente álbum fala da dura e violenta realidade dos bairros de grande Lisboa : problemas de sempre : pobreza, falta de perspectivas, drogas e abandono pelo estado, é uma música de conteúdo por que é sincera como quem a compõe. Os propósitos principais do Halloween são resgatar a nostalgia étnica e ideológica através do hip hop e mais propriamente do rap através de suas letras bem elaboradas e directas. A rapida troca de flow num apice dà o tom exacto que o rapper quere transmitir. O seu estilo nao foge muito do rap tradicionalista, hardcore, relembrado o estilo dos Wu Tang Clan nos anos 90. As suas musicas tem uma sonoridade lenta sem, no entanto, deixaram de ser extremamente agressivas. Usando todo o seu lirismo para falar das ruas, também relata a vida do crime e tudo o que se associa ao mesmo. De igual modo, nao deixa de evidenciar os seus dotes e skillz. A sua narrativa mostra que vive 100% a crueldade da vida do crime.
 
1 Dia de um Dread de 16 anos video:

 

 

Vídeos

 

 

 

Download do CD de "Halloween":

 

Halloween - Projecto Mary Witch

 

 

Mais um CD do verdadeiro Hip Hop Tuga Underground. Um grande CD, grandes rimas, grande som. Vale a pena acreditem.
 
 
 
Cliquem no link em baixo para download:

Halloween - Projecto Mary Witch
 
 
 
 

Se são fãs dos MCA e não querem perder um unico episódio façam download de todos em http://episodiosmcadownload.blogspot.com e as novidades dos MCA em http://morangoserebeldes.blogs.sapo.pt e de todas as actualidades e muito mais em http://romanticboy69.blogs.sapo.pt e muito erotismo em http://pornostar.bloguepessoal.com.

 

publicado por Rickymcdread às 00:48
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


.posts recentes

. A morte da cantora Whitne...

. download CD Best Of March...

. download CD Best Of March...

. Um Bom Natal com download...

. Concerto de Lady Gaga em ...

. Downloads - o melhor do R...

. O melhor dos downloads (n...

. As damas do Hip Hop em fo...

. Novidades Hip Hop Tuga!!!

. O melhor do Hip Hop para ...

.arquivos

. Fevereiro 2012

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

radio Cidade FM...


widgeo

widgeo
Contador de acesso
Contador de acesso

compteurs free counters
(brevemente)

blogs SAPO

.subscrever feeds